NOTÍCIAS

26/10/2015

É tempo de alcachofra!

Trazida pelos italianos para o Brasil, ela é nativa da região do mediterrâneo e suas pétalas e coração são muito apreciados na culinária. As folhas também costumam ser usadas nas preparações de medicamentos.

Segundo Flavia Salvitti, nutricionista do Hospital San Paolo, centro hospitalar localizado na zona norte de São Paulo, a alcachofra é rica em fibras e potássio, auxiliando assim no bom funcionamento intestinal. Além disso, é rica em vitamina C, vitaminas do complexo B, iodo sódio, ferro, ácido fólico e magnésio, contendo baixa caloria.

Estudos recentes mostraram que as propriedades contidas em suas folhas amargas, auxiliam na digestão de alimentos gordurosos, conhecidos como cinarina e o ácido caféico, auxiliando na produção da bile na redução do colesterol, regulação da glicemia e estímulo hepático, ente outras.

“Por tratar-se de uma colheita sazonal, ou seja, encontrada em determinado período do ano, ela também pode ser consumida em forma de extrato”. Geralmente elas apresentam-se em três tamanhos: pequenas, médias e grandes. As grandes costumam ser as menos escolhidas por correrem o risco de estarem duras e fibrosas. “O indicado é examiná-la visualmente, que deverá conter uma coloração verde saudável, apertar levemente para checar sua firmeza e seu peso. Quanto mais pesada melhor, sinal de que contém bastante caldo. Uma dica é dobrar uma das folhas, se ela quebrar de forma limpa, sem dobrar, significará que o vegetal é fresco”

A forma mais comum que encontramos da alcachofra é in natura, seu “coração”, parte central e extremamente suculenta, pode ser encontrado também em conserva. “Existem diversos modos de preparo para consumo, um dos mais comuns é a fervura da planta e adicionado o molho de preferência, dando sabor à parte comestível na base da pétala. Os temperos mais utilizados são, alho, azeite, vinagre, tomilho, pimenta do reino entre outros”, ensina Flávia.

A alcachofra pode ser armazenada em geladeira por até 4 dias, bem vedada. Para congelar lave-as muito bem, corte o talo rente à base e apare as pontas das pétalas, coloque em um saco vedando muito bem e pode ser congelada por até 3 meses. Uma dica para não se perder nenhuma propriedade é utilizar a água do cozimento para preparação de sopas, cozidos e caldos”, finaliza a nutricionista. 

Calorias: 84 

Carboidrato: 13,59g 

Proteína: 4,21g 

Fibras: 6,5 g 

Serviço: 

Hospital San Paolo Rua Voluntários da Pátria, 2786 - Santana

Tel: (11) 3405-8200

PUBLICIDADE