NOTÍCIAS

18/06/2015

Qual o melhor vinho para acompanhar uma pizza?

Você que não abre mão de saborear uma pizza nas comemorações ou, até mesmo, no dia a dia, já pensou no que fazer para que ela se torne item de um jantar especial? A pizza, afinal, não precisa ser servida apenas com refrigerante, como de costume. Numa data especial, vale investir em uma garrafa de vinho que combine, claro, com o sabor escolhido para cobrir a massa. A sommelier e autora do blog Escrivinhos (www.escrivinhos.com), Fabiana Gonçalves, conversou com o Gastrô e deu dicas de como hamornizar uma das receitas mais consumidas do mundo com diferentes tipos de vinhos. “O prato combina, preferencialmente, com a bebida de tipos mais baratos. Não vale a pena investir em um supercaro, até porque pizza e a bebida também têm que ser”, afirma.

A tradicional pizza de muçarela, mesmo sendo a mais básica é campeã de vendas em boa parte dos estabelecimentos. Para dar um toque a mais, segundo a sommelier, vale investir em vinho tinto jovem e igualmente simples, com pouca ou nenhuma passagem por madeira.

A de calabresa também não fica de fora quando o assunto é recorde de vendas. Para o sabor forte e picante, é indicado um tinto mais estruturado, de taninos firmes, porém com boa acidez. Esse tipo de vinho apresenta leves toques de especiarias que combinam bem não só com a pizza de calabresa, mas com a massa que leva embutidos como peperonni ou salame.

Para os amantes do camarão, Fabiana aconselha um vinho branco com boa acidez ou, até mesmo, um mais leve, mas que também tenha acidez bem presente, uma vez que ela “se dá bem” com o fruto do mar e a “gordura” que acompanha a pizza, que normalmente é o catupiry. Muita gente opta pela pizza de carne seca, que vai bem com tintos um pouco mais encorpados. A de bacon, por sua vez, aceita desde vinhos brancos a tintos jovens com pouca passagem por madeira.

“A acidez é um fator que varia muito de um vinho para o outro. Chianti normalmente é um vinho com muito boa acidez. Ele é feito com uva Sangiovese, uva tinta italiana. Os brancos sem madeira também têm boa acidez. A chardonnay, Sauvignon blanc, Riesling torrontés são tipos de uvas que fazem esse tipo de vinho”, comenta a sommelier, afirmando que existe centenas de uvas tanto brancas quanto tintas.

Para pizzas de queijo que apresentam sabor um pouco mais forte, como gorgonzola, a sugestão é um branco com boa acidez para encarar a gordura dos queijos. Os sabores mais leves como tomate, rúcula, ricota combinam, sem dúvidas, com um tinto fresco e frutado. Ainda não encontrou seu sabor preferido? Que tal a de frango com catupiry? Juntos, esses dois ingredientes pedem vinhos tintos jovens com pouca ou nrnhuma passagem por madeira.

Ainda tem o coringa, que vai bem com a maioria dos sabores. “No geral, os vinhos tintos italianos possuem características marcantes que permitem o acompanhamento do prato em suas diferentes versões. Esses vinhos têm normalmente uma boa acidez e são leves. Porém, não é preciso ‘ficar preso’ somente aos italianos. Uma boa dica é preferir os vinhos simples e jovens, que são descomplicados assim como a pizza”, pontua Fabiana. Pelo Diário de Pernambuco.

PUBLICIDADE